Assista o VídeoClique acima e assista o Vídeo do Programa Mamãe Fitness

O Que Fazer Quando Os Gânglios Aumentam?

Basta o seu filho reclamar de uma dorzinha e colocar a mão no pescoço que você corre para ver se aquelas temidas bolotas apareceram por ali, certo? Eu, só de escrever esse texto, apalpei o meu pescoço umas três vezes à procura das danadas. Mas o nome certo dessas bolotas é gânglios linfáticos, também chamados de linfonodos ou popularmente ínguas. São estruturas que fazem parte do nosso sistema de defesa. São ovalados, em geral menores do que 1 cm de diâmetro, e espalhados por todo o organismo. Todo mundo tem e em grande quantidade.

Os gânglios se comunicam entre si através dos vasos linfáticos e objetivo principal do sistema linfático é promover a defesa do nosso corpo. É ali que ocorrem batalhas com os microorganismos que nos invadem.

A maioria das crianças saudáveis tem gânglios cervicais, axilares e/ou inguinais  palpáveis. Isto acontece porque a criança, além de apresentar proporcionalmente uma maior quantidade de tecido linfático do que o adulto, tem uma resposta mais exacerbada frente às frequentes infecções a que são expostas.

O que causa aumento dos gânglios?

Em geral, os gânglios linfáticos são considerados aumentados quando excedem 1 cm de diâmetro ou mais, dependendo da sua localização e assim são chamados de adenomegalias. Na maioria das vezes, os gânglios linfáticos aumentados representa apenas uma resposta transitória do sistema imunitário a infecções benignas. É frequente palpá-los em crianças pequenas, principalmente naquelas que frequentam creches e escolas por estarem expostas a inúmeras infecções diferentes. Nesses casos, os gânglios costumam ser móveis, indolores e de consistência fibroelástica, como uma borracha. Existem outras causas, menos frequentes, que podem estar associadas a doenças mais graves que merecem investigação pelo pediatra.

Pode ocorrer uma infecção localizada em um gânglio linfático?

Eventualmente pode ocorrer um aumento importante do gânglio, associada a dor e febre, fruto de um processo inflamatório exagerado, caracterizando uma infecção do gânglio chamada adenite. A adenite mais frequente ocorre na região do pescoço, cervical, e nessa situação se faz necessário o uso de antibióticos.

Quando devemos nos preocupar com as adenomegalias?

Raramente as adenomegalias aparecem em decorrência de uma doença maligna. Apenas em casos especiais, quando ocorrem adenomegalias muitos grandes, em grande número ou se os gânglios forem duros e aderidos a planos profundos, apresentarem aumento rápido e progressivo, duração prolongada, localização não habitual (como por exemplo a região acima do osso da clavícula), a opinião do pediatra será fundamental e a investigação  com exames quase sempre obrigatória.  Mas a mensagem principal aqui é que essas adenomegalias habitualmente são benignas e  não necessitam de qualquer tratamento, na maioria das vezes desaparecendo com o tempo.

O aumento reacional dos gânglios em resposta a uma agressão, habitualmente uma infeção, é a causa mais comum de adenomegalias na infância e a infeção dos gânglios ou adenite, quando ocorre, é mais frequente no pescoço.

(tá vendo que o nosso instinto de apalpar o pescoço do filho quando algo não parece ir bem faz sentido?)

As doenças malignas raramente estão associadas ao aparecimento de adenomegalias na infância. Mas consulte sempre o pediatra, pois o acompanhamento médico é fundamental para definir a necessidade de exames e observar a sua evolução.

Fonte: o texto de hoje tem participação de Marco Aurélio Safadi, professor de Pediatria da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo e  Coordenador da Equipe de Infectologia Pediátrica do Hospital Sabará. Conheça a Nuk

Quer receber nossas dicas para tornar sua vida e do seu bebê ainda melhor?

Coloque seu e-mail abaixo e entre para nossa lista VIP!

I agree to have my personal information transfered to AWeber ( more information )

Fique tranquilo seus dados estão 100% seguros e somos totalmente contra Spam.

Comments

comments

Add a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.